0

Júri internacional reforça projeção do concurso de instrumentos de sopros

O Concurso Internacional de Instrumentos de Sopro “Terras de La Salette”, que se realiza em Oliveira de Azeméis entre os dias três e oito de abril, terá, pela terceira vez, um júri internacional “reforçando ainda mais a credibilidade do concurso”, afirmou Manuel Silva, diretor pedagógico da Academia de Música de Oliveira de Azeméis (AMOA), a entidade parceira do evento organizado pela Câmara de Oliveira de Azeméis. A iniciativa vai na 13ªa edição e apresenta este ano como novidades a rotatividade do júri, o alargamento da idade dos concorrentes dos 26 para os 29 anos na secção sénior, o número de vagas, por instrumento e por idade, e a definição dos critérios de avaliação e pontuação.  

Segundo o regulamento da prova, outra novidade é a introdução de um desconto de 10% sobre o valor da inscrição que irá beneficiar os alunos da AMOA, os executantes das bandas filarmónicas do concelho e os concorrentes residentes no concelho de Oliveira de Azeméis.

“Este conjunto de alterações foram introduzidas para valorizar a edição deste ano”, explicou o diretor pedagógico da Academia de Música, acrescentando tratar-se do “maior concurso de instrumentos de sopro do país quer em número de participantes, quer de edições já realizadas”.

A primeira edição, de base local e regional, realizou-se em 2006, data a partir da qual o evento foi-se afirmando sendo hoje um evento com projeção internacional e uma referência em Portugal.

Segundo o presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, Joaquim Jorge, o concurso “é importante para a cultura do município tendo efetuado um percurso extraordinário através de um processo de aprendizagem, de afirmação e de consolidação da sua notoriedade”.

“Vamos aumentar a qualidade do concurso”, disse o autarca, explicando que se pretende com ele “incentivar a formação musical” num concelho onde o sucesso musical “é o reflexo do trabalho da Academia de Música, das bandas filarmónicas, das escolas de formação e dos músicos espalhados pelo mundo que tão bem dignificam o trabalho que temos feito”.

“Vamos tentar aumentar o grau de exigência do concurso e implementar um nível de qualidade que é exatamente o mesmo que queremos para a Academia”, referiu o presidente da Direção da AMOA, Eduardo Pereira. A Academia de Música foi escolhida para ser, pela primeira vez, parceira na realização do evento que se realiza há 13 anos.

Para a vereadora da cultura, Ana Jesus, “o grande desafio é fazer do concurso um grande momento cultural para o concelho e tentar envolver a população”. Segundo a responsável, “é importante que todos os oliveirenses saibam da existência da iniciativa e qual é o seu impacto no campo musical”.

O concurso integra as secções infantil, juvenil, júnior e sénior nos instrumentos de madeiras (flauta transversal, oboé, clarinete, fagote e saxofone) e metais (trompete, trompa, trombone tenor, trombone baixo, tuba e bombardino). Os critérios para a pontuação dos executantes são a sonoridade, execução técnica, afinação, interpretação e personalidade artística.

O concurso decorrerá nas instalações do cineteatro Caracas, Academia de Música de Oliveira de Azeméis e escola secundária Soares Basto.

Além dos prémios aos vencedores nas diferentes categorias e escalões, a organização atribuirá ainda o prémio Dª Maria Aldina Fernandes Valente no valor de 1500 euros.

 

 

Parceiro: Academia de Música de Oliveira de Azeméis